Portal do Governo Brasileiro
  • Página Inicial
Voltar

Mobilização Social pela Educação em Pindamonhangaba (SP)

Práticas:: Divulgação da mobilização social pela educação na mídia, Mobilização em igrejas, Mobilização em escolas
Parceiros: Outros parceiros, Setor Público, Secretarias de Educação e Escolas, Entidades do terceiro setor, Instituições religiosas, Comitês de Mobilização Social pela Educação
Unidade(s) Federativa(s): SP
Descrição:

População

146.995 habitantes (IBGE – Censo 2010).

Evolução no Ideb (Ensino Fundamental - redes públicas)

 

idebpindamonhagaba - microsoft word

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contato

 Doris Cardoso Prudente Bertolino – Assembleia de Deus

dorisbertolino@ig.com.br; dorisbertolino@hotmail.com

 João Moreno de Souza Filho – Assembleia de Deus

jmorenofilho@uol.com.br

 

Liderança (ator responsável)

Comitê de Mobilização Social pela Educação de Pindamonhangaba.

Parceiros

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Ministério Belém, Instituto Bíblico das Assembleias de Deus, Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Taubaté em Pindamonhangaba; Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Rio de Janeiro em Pindamonhangaba, Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira, Igreja Batista, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Adventista, Ministério Desperta Débora, Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba, Câmara de Vereadores, Secretaria Municipal de Educação de Pindamonhangaba, Diretoria Regional de Ensino / Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, Faculdade de Pindamonhangaba (Fapi), Anhanguera Educacional, Conselho Tutelar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Coalizão Pinda, PindaVale, TV Novo tempo, Vale News.

Estratégias empregadas

Criação de Comitê de Mobilização Social pela Educação da Assembleia de Deus – Ministério Belém

O Comitê de Mobilização Social pela Educação da Assembleia de Deus – Ministério Belém, constituído por voluntários da igreja, foi o responsável por iniciar as ações de mobilização no município. Após algum tempo, foi criado um comitê municipal que centraliza as atividades. O comitê da Assembleia passou a se focar no planejamento e avaliação das ações desenvolvidas no âmbito da própria instituição, que conta com quase cinco mil membros.

Criação de Comitê de Mobilização Social pela Educação de Pindamonhangaba

O comitê de Pindamonhangaba, criado para ampliar a mobilização no município, abrange representantes de igrejas evangélicas e católicas, órgãos públicos, organizações não governamentais, lideranças sociais, profissionais da educação, clubes de serviços e faculdades, conselhos municipais, mídia local, entre outros. O comitê se reúne regularmente para o planejamento e avaliação das atividades.

Realização de Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação

O comitê de Pindamonhangaba, em parceria com o MEC, realizou Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação a fim de orientar os voluntários locais na ampliação da mobilização no município. Representantes de outras cidades do Vale do Paraíba, como Caçapava, Campos do Jordão, Mogi das Cruzes, Santo Antônio do Pinhal, São José dos Campos, Taubaté e Tremembé estiveram presentes no encontro.

http://familiaeducadora.blogspot.com.br/2010/05/oficina-de-formacao-de-mobilizadores-em.html

Instituição de Semana Municipal de Mobilização Social pela Educação

A Semana de Mobilização Social pela Educação foi instituída por lei municipal em Pindamonhangaba em 2010. Celebrada anualmente na semana do dia 19 de setembro, em homenagem ao aniversário natalício do educador Paulo Freire, a lei foi resultado da ação dos mobilizadores locais. O objetivo é sensibilizar a sociedade para a importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos e estimular a reflexão sobre o papel dos cidadãos na promoção de educação pública de qualidade. As atividades realizadas nas comemorações das Semanas de Mobilização foram:

 Homenagem a professores

Anualmente, são homenageados professores que se destacam na educação pública de Pindamonhangaba. No primeiro ano, foram homenageados docentes aposentados em evento na Faculdade de Pindamonhangaba (Fapi). No ano seguinte, o tributo ocorreu em sessão solene na Câmara de Vereadores, sendo os professores – três da rede municipal e três da estadual – indicados pelas próprias escolas.

 Culto na Igreja Evangélica Assembleia de Deus

Realização do culto inter-religioso Em favor da educação na Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Ministério Madureira, com participação de membros e não membros da igreja, acompanhado de palestras sobre a responsabilidade dos pais na educação escolar dos filhos, com a presença do prefeito.

 Passeata

Representantes de diversos setores da sociedade, como membros de igrejas evangélicas, conselhos municipais, representantes do poder legislativo e executivo, professores e estudantes universitários, alunos e pais de escolas públicas, profissionais da educação e autoridades, percorrem trechos do centro da cidade na Passeata Em favor da educação. Exibindo faixas, os participantes entoam o slogan "para a educação melhorar, todos devem participar", distribuem exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos e conversam com a população sobre a importância da interação escola-família. A banda da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Ministério Belém acompanha e anima a caminhada.

 Escola de pais

Na Escola de Pais, especialistas em educação, psicólogos e psicopedagogos proferem palestras para pais de alunos de escolas públicas. Um dos temas abordados foi Problemas na aprendizagem e caminhos possíveis para que professores e pais possam superá-los.

 Palestra sobre o Plano de Mobilização Social pela Educação

Proferida por representante do MEC, abordou os objetivos e conceitos subjacentes ao plano.

 Concurso para escolha do tema

A cada ano, um tema é escolhido para nortear as atividades da semana. Em 2010, o mote foi Para a educação melhorar, todos devem participar. Em 2011, o comitê local realizou uma enquete para a escolha do tema. A votação foi realizada por meio do blog. Os temas disponíveis – indicados por membros do comitê –, eram: Por uma educação que liberte os alunos, envolva os pais e valorize os professores; Educação responsável - formando homens completos e não meros cidadãos; A educação na contemporaneidade: a necessária quebra de paradigmas para a construção da verdadeira cidadania; A educação forma cidadãos; e A colaboração da escola, da família e da comunidade para a melhoria da qualidade do ensino público. O tema escolhido foi o último. Em 2012, o tema desenvolvido na semana de Mobilização em Pindamonhangaba foi "Quando a família se envolve, o país se desenvolve".

 Visitação das residências dos alunos

Professores e estudantes universitários e outros mobilizadores realizam visitação de residências durante a semana, nas quais distribuem exemplares da cartilha e conversam com as famílias sobre a importância do acompanhamento da vida escolar de crianças e adolescentes.

Participação em reuniões com diretores e coordenadores pedagógicos

A Diretoria de Ensino de Pindamonhangaba, ligada à Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, abre espaço em reunião de diretores e coordenadores pedagógicos de escolas estaduais para os mobilizadores falarem sobre a mobilização social pela educação. O objetivo é sensibilizá-los sobre a importância da interação escola-família-comunidade.

Realização de ações de mobilização em igrejas

Na igreja evangélica Assembleia de Deus – Ministério Belém, os pastores inserem a mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos nos cultos: leem e explicam trechos, esclarecem dúvidas dos presentes, dão exemplos de como os pais podem participar de forma ativa da educação escolar de seus filhos. A igreja ainda disponibiliza exemplares da publicação para serem distribuídos na recepção do templo.

Outras denominações da igreja evangélica e a igreja católica também são parceiras da mobilização. Voluntários de Pindamonhangaba organizam regularmente reuniões com pastores, padres e lideranças de igrejas para divulgar a mobilização social pela educação e planejar ações de estímulo à interação escola-família-comunidade.

Na igreja do Evangelho Quadrangular, os mobilizadores promovem formações de educadores das escolas bíblicas e dos estudantes de ensino médio do curso de teologia do Instituto Teológico Quadrangular para atuarem como multiplicadores na sensibilização das famílias e da sociedade para participação dos pais na vida escolar dos filhos. Nas reuniões dos pastores titulares das Igrejas e Obras Novas - projeto da Igreja Quadrangular – o reverendo conclama os presentes a instruir as famílias de suas igrejas a respeito da importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos.

Na igreja católica, os padres distribuem exemplares e discorrem sobre os conteúdos da cartilha nas missas e em projetos como oficina de costura para mulheres.

Realização de ações de mobilização em escolas

Seja propondo ou atendendo a convites de diretores e professores, voluntários do comitê local visitam escolas para conversar sobre a importância da participação dos pais no cotidiano escolar como estratégia para a melhoria da qualidade da educação. De acordo com a demanda de cada unidade, os mobilizadores realizam a formação de professores para atuarem como multiplicadores da mobilização, disponibilizam exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos para serem distribuídos junto às famílias e/ou realizam reuniões com pais.

Algumas escolas são indicadas pela Secretaria Municipal de Educação ou pela Diretoria Regional de Ensino em função de situações mais graves de risco social dos alunos e/ou de resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação (Ideb) abaixo da média. Dependendo da conjuntura de cada escola, conselheiros escolares são mobilizados para acompanhar as reuniões e colaborar nas orientações para a comunidade escolar.

As reuniões também são solicitadas por pais de alunos que ao conhecerem o trabalho dos mobilizadores, conversam nas escolas de seus filhos e solicitam a presença de um representante do comitê para a explanação do conteúdo da cartilha a pais e professores.

Nas reuniões nas escolas, os membros do comitê estimulam o fortalecimento das Associações de Pais e Mestres (APMs) e dos Conselhos Escolares, identificados como parceiros importantes na mobilização social pela educação.

Na Escola Municipal Elias Bargis Mathias, localizada no bairro Araretama, os mobilizadores organizaram, em conjunto com coordenadores pedagógicos e professores, um encontro de pais e educadores sobre a importância da interação família-escola. Três palestras foram concedidas. A primeira, conduzida por voluntária do comitê local, abordou os conteúdos da cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos e explicações sobre o Ideb. A voluntária apresentou também uma reportagem do programa televisivo Fantástico sobre um professor que tem transformado a vida de seus alunos no Distrito Federal.

A segunda palestra foi ministrada por um mobilizador que é conselheiro tutelar e membro do Conselho do Fundeb. Ele falou sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, com destaque para os direitos e deveres da família, especialmente em relação à educação escolar dos filhos. A terceira apresentação foi realizada por uma professora da escola, que expôs experiências de melhoria da qualidade da educação desenvolvidas no Brasil e no exterior. A palestra teve como referência as apresentações do I Seminário Internacional de Mobilização Social pela Educação, realizado em Fortaleza em outubro de 2011.

Formação de grupos de pais mobilizadores

Ao final do Encontro de Pais, uma professora da Escola Municipal Elias Bargis Mathias convidou os pais para aderirem ao Plano de Mobilização Social pela Educação. Os interessados formaram uma comissão destinada a mobilizar outros pais da comunidade. O comitê local orienta o grupo em suas ações.

Disseminação da mobilização junto a diretores e coordenadores pedagógicos

Convidados pela Diretoria Regional de ensino de Pindamonhangaba / Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, mobilizadores locais participam de reuniões com diretores e coordenadores pedagógicos para apresentação do Plano de Mobilização Social pela Educação e da cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos.

Realização de ações de mobilização junto a jovens

Junto aos jovens, o comitê local desenvolve ações como a realizada na Casa do Jovem do bairro das Campinas, instituição que integra o projeto Vem Ser, da Prefeitura Municipal, de promoção da formação profissional de adolescentes e jovens de 14 a 19 anos. A pedido dos próprios jovens, representante do comitê realizou três reuniões para abordar a mobilização social pela educação, o direito à educação e a importância da interação escola-família-comunidade. Nos encontros, foram levantadas as principais dificuldades enfrentadas pelos jovens em suas escolas e debatidas soluções para os problemas apontados, como professores que não dão aulas, inadequação das condições físicas das salas de aula e a formação deficitária dos alunos, que saem da escola sem saber ler e interpretar textos.

Ao final das reuniões, os jovens criaram um panfleto para ser distribuído na comunidade com o intuito de orientar e conscientizar a população de que a escola é um bem comum que deve ser zelado por todos. O panfleto foi impresso com apoio da Diretoria Regional de Ensino.

Realização de ações de mobilização em conselhos municipais

Os voluntários locais já realizaram reuniões para disseminar as mensagens da mobilização social pela educação no Conselho Municipal dos Direitos da Criança, Conselho Municipal de Educação, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), Conselho da Merenda e Conselho Tutelar. O objetivo foi formar os conselheiros como multiplicadores da mobilização junto a seus públicos.

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente encaminhou ofício convite às entidades filiadas para participarem do Plano de Mobilização Social pela Educação.

No Conselho Municipal de Educação, os voluntários locais realizaram um requerimento para a manutenção do número de vagas reservadas à representação de pais nessa instância – um projeto de lei que tramitava na Câmara de Vereadores propunha a redução do número de integrantes do Conselho; no caso dos pais, a queda seria de 12 para cinco representantes. Os mobilizadores argumentaram junto aos vereadores que a representação dos pais no colegiado é importante para incluir as famílias na busca de soluções para os problemas pertinentes à educação pública. Defenderam também o investimento na formação dos conselheiros para sua atuação. A ação dos mobilizadores não foi suficiente para reverter a mudança da lei.

No Conselho do Fundeb, mobilizadores articularam pais de alunos de vários bairros para participação na eleição de novos representantes. Um número expressivo de familiares esteve presente. Entre as prioridades definidas para o colegiado, os participantes propuseram o incentivo à participação das famílias nas escolas e na vida escolar de suas crianças e adolescentes como forma de contribuir para a melhoria da qualidade da educação.

Estabelecimento de parceria com faculdades

A Faculdade de Pindamonhangaba (Fapi) é parceira da mobilização no município. Além de ceder espaços para reuniões e seminários, formou uma equipe de professores e alunos para visitar residências e falar sobre a importância dos pais acompanharem a vida escolar dos filhos.

Juntamente com a Anhanguera Educacional, a Fapi participa das Semanas de Mobilização Social pela Educação. Professores e alunos são mobilizados para integrarem as passeatas portando faixas, distribuindo cartilhas e conversando com as pessoas sobre a participação na educação.

Apoio a ações de valorização docente

Professores de Pindamonhangaba solicitaram apoio ao comitê local em ação em defesa da valorização dos professores no plano de carreira docente. Uma mobilizadora participou de audiência pública na Câmara dos Vereadores sobre o tema, no qual proferiu exposição sobre a relação entre a valorização dos professores e a qualidade da educação.

Apoio a familiares de alunos em casos de problemas em escolas

Nas ações de mobilização social pela educação, os cidadãos são conscientizados de que a educação de qualidade é um direito, o que tem levado o comitê a ser visto como uma instituição de defesa da educação. Nesse sentido, familiares de alunos de Pindamonhangaba procuram mobilizadores a fim de obter orientações para casos de problemas vividos em escolas, como falta de professores e situações de discriminação. A primeira orientação dada pelos voluntários é conversar com o professor e o diretor. Caso o diálogo não surta efeito, são indicados órgãos que podem ser acionados.

Divulgação da mobilização na mídia e em redes sociais

Os voluntários locais estão em constante contato com os meios de comunicação para noticiar eventos e mensagens da mobilização social pela educação. As emissoras de televisão Boas Novas (da Assembleia de Deus), Novo Tempo (da igreja Adventista) e Ibad (do Instituto Bíblico das Assembleias de Deus); os portais na internet Vale News e Pinda Vale; Jornal Tribuna do Norte e o Jornal da Cidade; Radio Difusora, são alguns dos parceiros que divulgam notícias.

As redes sociais também são usadas como estratégia de divulgação pelos mobilizadores, que publicam trechos da cartilha, eventos e notícias.

Disseminação da mobilização em outros municípios

Os mobilizadores de Pindamonhangaba apoiam municípios vizinhos na criação de comitês locais e realização de ações de mobilização social pela educação. Os voluntários já estiveram em Guaratinguetá e Santo Antônio do Pinhal, onde se reuniram com lideranças religiosas, professores, técnicos e gestores de secretarias municipais de Educação.

Instrumentos de mobilização utilizados

Cartilha Acompanhem a Vida Escolar de seus Filhos

A cartilha é o material base para todas as ações de mobilização social pela educação realizadas em Pindamonhangaba. A prefeitura municipal imprimiu 11 mil exemplares.

Principais desafios enfrentados

Para os mobilizadores de Pindamonhangaba os principais desafios enfrentados no trabalho desenvolvido no município são:

 Resistência de diretores e professores à abertura das escolas para participação dos pais.

 Mobilizar voluntários para adesão à causa da mobilização.

 Ampliar o espaço na mídia para divulgação de notícias sobre mobilização e educação.

Resultados principais

Para os voluntários do comitê local, os principais resultados alcançados pela mobilização no município de Pindamonhangaba foram:

• Maior acompanhamento e participação dos pais na vida escolar dos filhos, percebidos no contato com as famílias nas ações de mobilização.

• Lideranças sociais e voluntários mobilizados para a causa da educação.

• Instituição da Semana de Mobilização Social pela Educação em lei municipal e realização de duas edições.

Perspectivas

Os mobilizadores de Pindamonhangaba estão comprometidos com a continuidade das ações em 2012. A edição deste ano da Semana de Mobilização foi realizada como planejado. Estão previstas ações em escolas e de apoio a mobilizadores em outros municípios.

?

 

Objetivos:
© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal