Portal do Governo Brasileiro
  • Página Inicial
Voltar

Projeto MobilizAção - Fundação ArcelorMittal

Práticas:: Mobilização em escolas, Formação/Oficina sobre o PMSE, PMSE como pauta de eventos, Criação de Comitê de Mobilização Social pela Educação
Parceiros: Outros parceiros, Setor Público, Empresas, Instituições religiosas
Unidade(s) Federativa(s): ES
Descrição:

Contato

Iramaia Rodrigues Colen – analista de projetos da Fundação ArcelorMittal Brasil - iramaia.colen@arcelormittal.com.br - www.fundacaoarcelormittalbr.org.br

Liderança (ator responsável)

Fundação ArcelorMittal Brasil.

Parceiros

ArcelorMittal Brasil; secretarias municipais de Educação, Saúde, Trabalho e Cidadania, Assistência Social; conselhos municipais de Educação, dos Direitos da Criança e do Adolescente; conselhos tutelares; associações de pais, ONGs e educadores.

Histórico

O projeto MobilizAção teve início a partir de uma necessidade apresentada à Fundação ArcelorMittal pela Secretaria Municipal de Educação de Cariacica, que procurava desenvolver alguma iniciativa que tivesse o potencial de construir junto à população local o reconhecimento da importância da educação na vida das pessoas. Após um contato com o Instituto Votorantim, que apresentou o Programa Parceria Votorantim pela Educação, a representante da Fundação ArcelorMittal conheceu o Plano Nacional de Mobilização pela Educação, do MEC. Originava-se, assim, o projeto MobilizAção, estruturado como uma resposta da Fundação ArcelorMittal ao chamado de mobilização feito pelo Ministério.

Objetivos

O Projeto MobilizAção tem como objetivo "contribuir para melhorar a aprendizagem dos alunos das escolas públicas municipais das áreas de atuação das unidades industriais da ArcelorMittal Brasil, através do maior envolvimento das famílias na educação escolar dos alunos das escolas públicas municipais destas áreas."

Metodologia - estratégias empregadas

Seleção/articulação com os municípios parceiros

Quando foi criado o Projeto MobilizAção, a Fundação ArcelorMittal obteve orçamento para implantá-lo em dois municípios nos quais houvessem unidades industriais da empresa. Além de Cariacica, município demandante do projeto e com o qual a Fundação já tinha parcerias, foi selecionado João Monlevade, em Minas Gerais, onde estava prevista uma expansão da unidade da ArcelorMittal e com o qual havia uma relação positiva prévia via Secretaria Municipal de Educação.

O projeto foi negociado e adequado às demandas de cada município. Os secretários municipais de Educação participaram de uma reunião com representantes do Ministério da Educação (MEC) na Fundação ArcelorMittal para apresentação do Plano Nacional de Mobilização Social pela Educação e para discussão sobre a proposta de trabalho em conjunto referente ao projeto.

A partir desse diálogo, as parcerias foram firmadas com as Secretarias Municipais de Educação, que se responsabilizaram em apoiar a implementação do projeto com a perspectiva de se apropriar dele; inserir a mobilização pela educação na política e no calendário educacional como um programa do município; criar o núcleo de mobilização; participar de todas as decisões necessárias para o desenvolvimento do projeto; e prover condições materiais e operacionais.

Assim, a Fundação ArcelorMittal e a ArcelorMittal Brasil têm: atuado na criação de condições institucionais, técnicas e profissionais para que ocorra o processo de mobilização nos municípios; assegurado a orientação técnica aos municípios e escolas; contribuido com a articulação de outras instituições e/ou serviços; colaborado com as condições operacionais e logísticas para o desenvolvimento do projeto; e monitorado o conunto dessa ações.

Instituição de Comitê Gestor de Mobilização Social pela Educação

Os comitês gestores coordenam o projeto nos municípios. Similar ao Comitê de Mobilização Social pela Educação proposto pelo MEC, o colegiado do Projeto MobilizAção é o articulador das ações de mobilização propostas e executadas pelos municípios.

A mobilização para participação no comitê é realizada pela Fundação ArcelorMittal Brasil e pelas secretarias de Educação a partir de um diagnóstico participativo que identifica lideranças e outros atores sociais com potencial de atuação em prol da qualidade da educação. Os comitês são compostos por representantes de áreas diversas como Educação, Saúde, Assistência Social, Trabalho e Cidadania, Conselho Municipal de Educação, representação de Associação de Pais e Conselho Tutelar.

Em Cariacica, o Comitê Gestor foi criado e formalizado por portaria municipal (Nº 001/2011) e teve sua atuação detalhada em um regimento interno.

Entre as atividades desenvolvidas pelo Comitê Gestor, há a elaboração de um modelo de levantamento de alunos com baixos resultados de aprendizagem e sugestão de encaminhamento do problema junto às escolas; visitação das residências de famílias com estudantes com dificuldades; e a orientação das equipes escolares para desenvolvimento de um trabalho junto às famílias de alunos com mais necessidade de apoio.

Os Comitês Gestores se reúnem mensalmente para planejar, monitorar e avaliar ações, compartilhar informações e realizar formações em temas relacionados à mobilização.

Há também um Comitê Gestor Ampliado, que, além dos representantes do Comitê Gestor, abrange os Grupos de Trabalho das escolas (relatados abaixo). Foi com esse grupo que foi realizado o seminário inicial do programa, com o tema "O Projeto de MobilizAção e Concepção e Prática de propostas de mobilização social de famílias para a educação".

Seleção das escolas participantes

Em Cariacica, dez escolas foram selecionadas para participação no projeto. Os critérios de seleção foram definidos entre a Fundação ArcelorMittal e a Secretaria de Educação: baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) - entre 2,0 e 4,0 -, inserção em contextos sociais de alta vulnerabilidade e insipiente participação das famílias. Já em João Monlevade todas as sete escolas da rede municipal participam do projeto.

Instituição de grupos de trabalho nas escolas

Em cada uma das escolas parceiras é criado um grupo de mobilização. Em Cariacica, o grupo é denominado de grupo de trabalho, em João Monlevade a nomenclatura escolhida é Núcleo de Mobilização pela Educação. Os grupos atuam no desenvolvimento das ações do projeto, com participação de educadores (70%) e pais (30%). A Fundação produz textos de apoio para orientar a atuação dos grupos.

Com apoio do grupo gestor e do consultor técnico, os grupos de trabalho elaboram planos de ação para promoção da interação escola-família-comunidade.

Contratação de consultoria técnica

Para operacionalização do projeto, a Fundação ArcelorMittal, as secretarias municipais de Educação e os comitês gestores têm o apoio de uma consultoria técnica especializada em mobilização social pela educação contratada pela Fundação. Selecionados em conjunto com os secretários de Educação, os consultores dispõem de 16 horas por mês para apoiar o desenvolvimento das ações do MobilizAção. Entre suas atribuições, está assessorar os atores envolvidos, realizar formações dos membros do comitê gestor e dos grupos de trabalho e elaborar relatórios.

Implementação do projeto em etapas

A execução do projeto foi dividida em quatro etapas de um ano cada. Ano a ano, um dos atores envolvidos com a proposta é o principal estimulador/responsável pelo projeto: no primeiro, a Fundação ArcelorMittal e a ArcelorMittal Brasil; no segundo a Secretaria Municipal de Educação; no terceiro, as escolas e, no quarto, espera-se que as famílias estejam participando e os alunos aprendendo.

A expectativa dos parceiros do MobilizAção é que as escolas e famílias, por meio dos Grupos de Trabalho, assumam a liderança do projeto e deem continuidade à proposta após os quatro anos. Nesse ponto, o apoio da Fundação é cessado.

Em João Monlevade, os mobilizadores locais criaram uma metáfora de três "ondas" para se referir aos atores abrangidos no projeto ao longo de suas etapas. A primeira se refere ao comitê gestor; a segunda aos participantes que são envolvidos nas escolas, como os membros dos Núcleos de Mobilização pela Educação, e o grupo de parceiros; e a terceira diz respeito a todos os cidadãos do município, com o objetivo de mobilizar toda a cidade em torno da educação. As ondas vão, portanto, abrangendo cada vez mais atores.

Implementação do projeto em etapas

 

 

 

Realização de formações

A realização de formações em temas relacionados à mobilização é uma estratégia importante do projeto. Ministradas pelos consultores, elas são direcionadas ao Comitê Gestor e aos Grupos de Trabalho das escolas. Em 2011, os seguintes temas foram pauta dos seminários mensais realizados em Cariacica:

1. Educação brasileira: organização e gestão da educação nacional, instrumentos norteadores e indicadores educacionais.

2. Caracterização das dez escolas integrantes do MobilizAção.

3. Porque e como trabalhar com famílias na escola.

4. Programas da saúde voltados para as crianças e suas famílias.

5. Rede de proteção social e programas voltados para as famílias.

6. Mobilização e formação de redes para o trabalho com famílias.

7. Programas da Secretaria de Cidadania e Trabalho voltados para famílias.

8. Promoção e relato de experiências bem sucedidas de práticas escolares com participação das famílias.

9. Família: papel na arte e nos desafios de criar suas crianças e adolescentes.

Realização de eventos de lançamento do projeto

A fim de mobilizar atores diversos para a mobilização social da educação, o projeto realizou eventos de lançamento envolvendo públicos distintos.

O lançamento público em Cariacica ocorreu por meio do seminário pedagógico O Programa Mobilização e a Participação da Família na Educação, com a participação de cerca de 600 pessoas, entre representantes do MEC, secretários municipais de Educação de 17 municípios do Espírito Santo e representantes da Secretaria de Estado da Educação. A intenção foi divulgar a proposta e motivar outras localidades a desenvolver ações similares.

Comunidades nas quais estão situadas escolas parceiras também tiveram eventos de lançamento, a fim de que os moradores dessas localidades fossem envolvidos e tomassem conhecimento sobre o projeto. Em Cariacica, os eventos ocorreram em oito escolas.

Apoio à reorganização das Secretarias Municipais de Educação para desenvolvimento do projeto

A fim de apoiar o desenvolvimento do projeto nos municípios, a Fundação ArcelorMittal contribui com a organização física e funcional das Secretarias Municipais de Educação parceiras.

Realização de diagnósticos nas escolas parceiras

O trabalho dos comitês gestores nas escolas parceiras é orientado por um diagnóstico dos estabelecimentos, realizado por meio de um roteiro baseado em seis dimensões: 1) gestão educacional, 2) ambiente escolar, 3) formação de professores, 4) participação da família e da comunidade na vida escolar, 5) práticas pedagógicas e avaliação e 6) infraestrutura. As dimensões são baseadas no instrumento "Indicadores da Qualidade na Educação".

Foi também elaborado mapeamento dos alunos com dificuldades de leitura, escrita e matemática das escolas, apontando o tipo de dificuldade que apresentam e o trabalho proposto para saná-las, envolvendo atividades junto aos alunos e às famílias.

Os diagnósticos e os encaminhamentos realizados são sintetizados pelos comitês gestores.

Divulgação de programas sociais

O projeto realiza sistematizações dos programas e ações das Secretarias de Saúde, Assistência Social e Cidadania e Trabalho que tenham interface e possam contribuir com o MobilizAção. As sistematizações são apresentadas para o Comitê Gestor e Grupos de Trabalho com vistas a promover articulações entre as escolas e os programas sociais existentes e fortalecer a rede municipal de apoio às famílias.

Integração da mobilização com outras áreas das Secretarias Municipais de Educação

Com a intenção de integrar a mobilização às demais ações da educação nos municípios, são realizadas atividades internas de divulgação nas Secretarias Municipais de Educação. Em Cariacica, foi realizado seminário com gerentes, coordenadores de programas e projetos da Secretaria para expor o andamento do Projeto "MobilizAção Cariacica", enfocando seu processo de implementação e as correlações básicas entre a política educacional municipal e os pressupostos do Plano Nacional de Mobilização Social.

Elaboração de indicadores para monitoramento e avaliação

O principal indicador proposto pela Fundação ArcelorMittal aos municípios para aferir o resultado das ações empreendidas pelo projeto nos municípios é o Ideb. O projeto também oferece indicadores e instrumentos técnicos de monitoramento e avaliação das ações.

Elaboração de plano de mobilização

Para orientar a elaboração do plano de trabalho, o projeto oferece auxílio à elaboração de Plano MobilizAção pela Educação nos municípios parceiros e em cada uma das escolas participantes.

Apoio às escolas parceiras para realização de atividades junto às famílias

O projeto orienta as escolas para desenvolverem ações de integração com as famílias. As unidades escolares são apoiadas para realizar visitas às residências de alunos com dificuldades de aprendizagem, promover reuniões de orientação com grupos de famílias e realizar encontros para apresentação dos significados e objetivos do Ideb.

As escolas também são estimuladas a desenvolver projetos próprios, como o Gincana pedagógica, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Martim Lutero; o Identidade,  na EMEF Padre Gabriel; o Ler para Aprender, na EMEF São Jorge; e o Fórum de Pais, na EMEF Maria Augusta Tavares, todos em Cariacica.

Instrumentos de mobilização utilizados

Cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos

Impressão de 10.000 cartilhas Acompanhem a vida escolar dos seus filhos para distribuição nos municípios parceiros.

Vídeo do Projeto MobilizAção

A Fundação ArcelorMittal produziu um vídeo para apoiar a divulgação do projeto. O vídeo veicula a mensagem de que toda a sociedade pode contribuir com a melhoria da qualidade da educação e aborda questões como o conceito de mobilização, o papel dos diferentes atores responsáveis pela educação e o Ideb.

Acesse aqui o Vídeo MobilizAção produzido pela Fundação ArcelorMittal.

Camisetas

Confecção de camisetas para serem usadas pelos mobilizadores.

Material impresso

A Fundação ArcelorMittal confecciona todo o material impresso de divulgação do projeto e o distribuiu para os municípios.

Banner

A Fundação produz banners para divulgação das mensagens do projeto.

Principais desafios enfrentados

Para a gerente de Educação da Fundação ArcelorMittal Brasil, o principal desafio do projeto tem sido o seu monitoramento, principalmente a verificação do cumprimento de seu propósito: garantir o direito de todos e de cada um a aprender.

São também desafios formulados pela representante da Fundação sustentar/consolidar uma rede local permanente de mobilização pela educação, garantir o compromisso dos atores envolvidos com a continuidade do projeto e romper com ideias pré-concebidas a respeito das famílias e das escolas, vistas como descompromissadas e burocráticas, respectivamente, pela comunidade e por servidores da prefeitura.

Resultados principais

Os principais resultados apontados pela gerente de Educação da Fundação ArcelorMittal Brasil são:

• Rede de educação local articulada e ativa

• Escolas preparadas para a integração com as famílias

• Interesse crescente das famílias nas atividades escolares dos filhos, principalmente quando convocadas para além das questões disciplinares ou para informações sobre o rendimento dos alunos.

• Aumento da participação das famílias nas atividades propostas pelas escolas, principalmente nas atividades festivas e culturais. Em média 30% dos pais participam das atividades propostas.

Perspectivas

Entre as perspectivas para o MobilizAção, a gerente de Educação da Fundação ArcelorMittal Brasil aponta a intenção de manter o projeto em andamento nos três próximos anos, conforme convênio assinado entre os parceiros; avaliar e elaborar relatórios das atividades desenvolvidas; promover e propiciar a socialização de resultados e das melhores práticas desenvolvidas pelas escolas alvo, por meio de divulgação no site e no blog da Mobilização do MEC e em outros mecanismos de divulgação; planejar o trabalho futuro. Ainda não há a perspectiva de expandir o projeto para outros municípios.

Objetivos:
© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal