Portal do Governo Brasileiro
  • Página Inicial
Voltar

Mobilização Social pela Educação em Governador Nunes Freire (MA)

Práticas:: Ações pontuais, Divulgação da mobilização social pela educação na mídia, Mobilização em igrejas, Ação com famílias, Ação com Comunidade, Mobilização em escolas, Formação/Oficina sobre o PMSE, Mobilização de municípios vizinhos, PMSE como pauta de eventos, Lei sobre Dia e/ou Semana de Mobilização Social pela Educação, Criação de Comitê de Mobilização Social pela Educação
Parceiros: Outros parceiros, Ministério Público, Setor Público, Secretarias de Educação e Escolas, Instituições religiosas
Unidade(s) Federativa(s): MA
Descrição:

População

25.401 (IBGE, Censo 2010)

Evolução no Ideb (rede pública)

idebgovernador nunesfreire

 Fonte: INEP/MEC

 

Contato

• Ulenira Batista Ribeiro – ex-secretária municipal de Educação - uleni@hotmail.com

• Ana Ramalho – vice-presidente do Conselho Municipal de Educação e

Coordenadora das Ações de Mobilização Social pela Educação - annaramalho_01@hotmail.com

• Cleunice Oliveira da Silva – Departamento de Apoio ao Educando e Coordenadora das Ações de Mobilização Social pela Educação - cleoniceoliveiradasilva@hotmail.com

Liderança (ator responsável)

Secretaria Municipal de Educação

Parceiros

Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Ação Social, Promotoria de Justiça, Conselho Municipal da Educação, Conselho Tutelar, lideranças religiosas, profissionais da educação e comerciantes.

Estratégias empregadas

Realização de Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação

O ponto de partida das ações de incentivo à interação família-escola-comunidade no município de Governador Nunes Freire (MA) foi o evento de formação direcionado aos mobilizadores locais, realizado de forma autônoma pela Secretaria Municipal de Educação em 2011, a partir de orientações encontradas no blog e no site da Mobilização Social pela Educação do MEC.

No mesmo ano, a Secretaria, em parceria com o MEC, promoveu a Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação, na qual municípios maranhenses das regiões do Baixo e Alto Turi também participaram.

Criação de Comitê de Mobilização Social pela Educação

O Comitê de Mobilização Social pela Educação de Governador Nunes Freire foi criado durante a Oficina realizada em parceria com o MEC. Na ocasião, foi elaborado um plano de ação para orientar o trabalho do colegiado. Os integrantes passaran se reunir frequentemente para definir suas atividades, em espaço reservado para esta finalidade nas dependências da Secretaria Municipal de Educação, com mesa para reunião e instrumentos de trabalho.

Apesar de a Secretaria Municipal de Educação ter sido a principal liderança a estimular o início dos trabalhos do comitê, a mobilização foi divulgada e desenvolvida como uma ação independente da prefeitura, de modo a torná-la mais autônoma.

Visitação às residências dos alunos

A realização de visitas às casas dos alunos, inclusive na zona rural, foi adotada como estratégia de mobilização em Governador Nunes Freire, nos anos de 2011 e 2012. A atividade foi implementada com os objetivos de conhecer o cotidiano das famílias, identificar o contexto social em que estão inseridas e os problemas que vivenciam, além de orientar os pais a acompanharem a vida escolar dos filhos.

As visitas foram realizadas em sistema de campanha. A equipe do comitê local dividiu o município em áreas, de acordo com os bairros e povoados rurais. Cada área tinha uma escola de referência. Periodicamente, os mobilizadores, juntamente com a equipe da escola, realizaram um mutirão de visitação em umas das áreas. Os dias de mutirão foram iniciados e finalizados com reuniões nas escolas, primeiro, para dar orientações em relação ao trabalho a ser desenvolvido, depois, para avaliá-lo. Todas as famílias de alunos de Governador Nunes Freire foram sido visitadas. Nessas ocasiões, também foram identificadas crianças que estavam fora da escola.

O planejamento e a realização das visitas contaram com o apoio de agentes comunitários de saúde, que utilizaram essa estratégia em seu trabalho cotidiano. Durante as visitas, os mobilizadores afixam cartazes em locais estratégicos das casas, como ao lado da televisão, com dicas para os familiares sobre como acompanhar a vida escolar dos filhos .

Segundo a então secretária municipal de Educação, a visitação de residências foi uma estratégia muito bem avaliada, tanto por professores quanto por pais. Os professores puderam entender melhor o contexto e o comportamento de seus alunos e, assim, traçar propostas pedagógicas condizentes com a realidade encontrada. Para os pais, as visitas significaram a manifestação de um interesse pela vida da família e um estímulo para um maior envolvimento com a educação escolar dos filhos.

Afixação de cartazes pela cidade

A partir de pesquisa no blog da Mobilização Social pela Educação (http://familiaeducadora.blogspot.com.br), os voluntários de Governador Nunes Freire criaram cartazes com mensagens que estimulam a interação escola-família-comunidade para serem afixados em residências, supermercados, lojas e instituições públicas e privadas. Os cartazes continham fotos da equipe de mobilização e dicas para os pais acompanharem a vida escolar dos filhos. Nas residências, os mobilizadores sugeriram aos responsáveis pelos alunos que colassem os cartazes próximos à televisão – local que comumente concentra moradores e visitantes.

Divulgação do Ideb das escolas municipais

O Comitê de Mobilização Social pela Educação de Governador Nunes Freire confeccionou painéis com os resultados das escolas referentes ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e os afixou em locais de ampla circulação nos estabelecimentos escolares. A ideia foi tornar o índice conhecido pela comunidade.

Implementação de programa de rádio

Para a divulgação das ações de mobilização social pela educação e disseminação de mensagens relacionadas à importância da interação escola-família-comunidade, a Secretaria Municipal de Educação de Governador Nunes Freire criou o programa de rádio Todos pela educação, com duração de uma hora. Inicialmente veiculado uma vez por semana, em função do sucesso de sua audiência, passou a ser transmitido duas vezes por semana e, posteriormente, em edições diárias.

O programa foi produzido e apresentado pela equipe que coordenava o setor de Mobilização Social pela Educação no município. Para criar as matérias, a equipe realizava pesquisas de referências e materiais que pudessem orientar as famílias a exercerem seus direitos e deveres em relação à educação dos filhos. Especialistas, autoridades e profissionais da educação forão convidados para conceder entrevistas e/ou prestar contas, tal como relatado na estratégia abaixo. Houve, ainda, espaço para os ouvintes participarem do programa enviando questões e fazendo comentários. Como exemplo, os ouvintes ligavam para dizer que determinada escola liberou seus alunos mais cedo.

Prestação de contas do trabalho desenvolvido nas escolas por diretores escolares

Ao final do ano letivo de 2011, a Secretaria Municipal de Educação orientou os diretores escolares a prestarem contas para a comunidade a respeito do trabalho desenvolvido nas escolas. Os diretores de unidades de ensino da zona urbana fizeram a prestação no programa de rádio Todos pela educação. Por sua vez, nas escolas rurais – localizadas em áreas não alcançadas pelo sinal da rádio – foram realizadas audiências públicas. Os gestores falaram sobre os projetos pedagógicos desenvolvidos e a evolução dos indicadores educacionais desses estabelecimentos de ensino. Os participantes puderam esclarecer dúvidas e tecer comentários sobre as apresentações. A ideia foi informar a comunidade escolar acerca das decisões administrativas e pedagógicas que envolvem o cotidiano escolar.

Formação de comitês de mobilização nas escolas

Além de assumir diretamente a realização de ações de mobilização, a Secretaria Municipal de Educação orientou que as escolas planejassem e executassem suas próprias atividades em suas comunidades. Para isso, estimulou a criação de comitês de mobilização nos estabelecimentos escolares.

Os comitês foram compostos por professores, funcionários e pais interessados em contribuir com o incentivo à interação família-escola-comunidade, com a melhoria da qualidade do ensino e do sucesso escolar dos alunos. A reunião de pais foi indicada pela secretaria como espaço prioritário para o desenvolvimento das ações de mobilização.

Promoção de encontros entre famílias e educadores (Projeto 1ª Escola de Pais)

A Secretaria Municipal de Educação procurou atuar como mediadora entre educadores e familiares, ouvindo reclamações e sugestões de ambas as partes para promover a aproximação entre os dois segmentos. Para tanto, realizou reuniões com as famílias nas escolas, abrindo espaço para que os pais e responsáveis pelos alunos esclarecessem dúvidas e debatessem com os educadores maneiras de participar efetivamente do cotidiano de estudos dos filhos.

Nesses encontros, os educadores forão orientados a adotar uma postura compreensiva em relação aos pais, que, comumente, não são escolarizados e não conhecem os códigos da relação com a escola.

Convocação de alunos para a EJA

Membros do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Governador Nunes Freire perceberam que, muitas vezes, os pais não escolarizados têm mais dificuldades em acompanhar e valorizar a vida escolar dos filhos. Como forma de superar esse obstáculo, passaram a convocar esse público para a matrícula na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Assim, como resultado do convite dos mobilizadores, surgiram novas demandas pela abertura de turmas de EJA. Para o atendimento desse público, as salas de aula foram montadas em espaços cedidos por instituições religiosas, com atividades pedagógicas programadas em horários alternados aos de missas e cultos.

Criação de mecanismos de comunicação com a comunidade

A Secretaria Municipal de Educação de Governador Nunes Freire adotou a aplicação de questionários junto às comunidades escolares como estratégia para levantar opiniões sobre assuntos que envolvam as escolas. Com a observação de que muitos pais se sentem acanhados em conversar com os diretores, especialmente quando é necessário fazer alguma reclamação, foi disponibilizada uma "caixa de sugestões" na entrada das escolas para uso da comunidade. Nelas, os pais depositam críticas e sugestões. Mensalmente, conforme planejamento dos docentes, a caixa de sugestões é aberta para leitura e discussão do conteúdo. Diretores, coordenadores pedagógicos e professores são estimulados a rever suas práticas educacionais segundo as sugestões e críticas apresentadas.

Inserção da pauta da mobilização em reuniões de outros órgãos e instituições

Os mobilizadores de Governador Nunes Freire adotaram a política de levar a pauta da Mobilização Social pela Educação para reuniões de órgãos e instituições como igrejas católica e evangélica, além de associações de moradores. O intuito foi facilitar a identificação de possibilidades de contribuição dos representantes desses segmentos para com as ações de incentivo à interação família-escola-comunidade desenvolvidas no município. Durante as abordagens dessas reuniões, foi ressaltada a importância do fortalecimento de parcerias para a promoção de atividades de sensibilização da sociedade em relação ao reconhecimento de que educação é responsabilidade de todos.

Realização de ações de mobilização em igrejas

Atendendo ao apelo do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Governador Nunes Freire, representantes das instituições religiosas usaram os horários de missas e cultos para conversar com as famílias sobre a evolução da educação dos filhos. Lideranças das igrejas católica e evangélica são membros do comitê local e participam efetivamente dos encontros e das ações realizadas pelo grupo.

Estabelecimento de parceria com a Promotoria de Justiça e Conselho Tutelar

A Secretaria Municipal de Educação e a Promotoria de Justiça realizaram uma série de reuniões para compartilhamento de problemas e dificuldades vividos na administração da educação municipal. A partir de então, a Promotoria tornou-se parceria da Mobilização Social pela Educação em Governador Nunes Freire. Quando o comitê local se depara com casos graves de omissão dos pais em relação à educação escolar dos filhos, os mobilizadores afirmam que podem encaminhá-los para o Conselho Tutelar e Promotoria de Justiça, o que muitas vezes já é suficiente para mudar a atitude do pai.

A Promotoria de Justiça e o Conselho Tutelar participam, ainda, de palestras promovidas pelo Comitê de Mobilização.

Estabelecimento de parcerias com comerciantes

Além de colaborar com a afixação dos cartazes, em seus estabelecimentos, com mensagens que estimulam a interação escola-família-comunidade, comerciantes de Governador Nunes Freire apoiam a Mobilização Social pela Educação no município, por meio da disponibilização de recursos para realização de eventos e produção de material.

Criação do Projeto de Lei Municipal

Em 2011, a Câmara de Vereadores de Governador Nunes Freire aprovou a instituição da Semana Municipal de Mobilização Social pela Educação. O período de comemorações deve ser promovido, anualmente, no mês de agosto. A aprovação da lei foi resultado da gestão feita pelos mobilizadores locais junto ao poder público.

Projeto Coordenadores de Pais

No Seminário Internacional de Mobilização Social pela Educação - Interação família-escola-comunidade, realizado em outubro de 2011, em Fortaleza, mobilizadores de Governador Nunes Freire conheceram o projeto Coordenadores de Pais, originalmente desenvolvido em Nova Iorque (EUA) e disseminado em escolas de São Paulo. Interessada em replicar a experiência, a equipe da Secretaria de Educação do município maranhense reuniu material e formatou uma proposta piloto, iniciada em março de 2012. Cinco mães que se destacavam em suas comunidades e no acompanhamento educacional de seus filhos foram selecionadas e receberam formação para atuação como coordenadoras de pais de cinco escolas. Diretores e coordenadores pedagógicos acompanharam a formação, a fim de garantir que o trabalho fosse realizado em parceria. As mães receberam bolsa auxílio pelo trabalho desenvolvido e contaram com apoio constante da Secretaria de Educação e do Comitê de Mobilização. Após o piloto, o projeto foi ampliado para mais escolas. As funções dos coordenadores de pais são:

• Auxiliar o diretor e a escola na organização de reuniões de pais para aumentar a frequência e a participação dos familiares.

• Atender pais que procuram a escola, intermediando o contato com a diretoria da instituição.

• Conduzir visitas aos domicílios e locais de trabalho dos pais e promover encontros em espaços comunitários do bairro a fim de auxiliar os familiares no acompanhamento e apoio ao desempenho dos filhos.

• Organizar eventos (oficinas, palestras) na escola com temas de interesse dos pais.

• Estar presente no portão na hora da entrada e saída dos alunos, bem como circular pela escola durante os intervalos e hora da merenda.

• Buscar identificar pais da comunidade que podem se tornar importantes voluntários e parceiros do dia a dia da escola.

• Desenvolver atividades que auxiliem diretores e professores na manutenção do espaço físico e da disciplina.

Instrumentos de mobilização utilizados

Cartilha Acompanhem a Vida Escolar de seus Filhos

A cartilha Acompanhem a Vida Escolar de seus Filhos é utilizada em todas as ações desenvolvidas pelos mobilizadores de Governador Nunes Freire.

Folhetos

Com base no conteúdo da cartilha, foram produzidos folhetos com dicas para os pais acompanharem a vida escolar dos filhos.

Cartazes, faixas e outdoors

O comitê local confeccionou cartazes, faixas e outdoors com o slogan da mobilização no município: "Em Governador Nunes Freire educação é direito e dever de todos". Nos cartazes e outdoors, foram exibidas também fotos da mobilização.

Os cartazes foram afixados em escolas, residências, lojas e outros locais de grande circulação de pessoas. As faixas e outdoors também foram exibidos em pontos mobimentados da cidade.

Filme Vida Maria

Os mobilizadores de Governador Nunes Freire costumam exibir o curta-metragem Vida Maria nas reuniões que promovem com os pais. O filme conta uma história que se repete há gerações: o trabalho precoce das crianças e seu afastamento dos estudos. O vídeo funciona como um sensibilizador para as famílias, que comumente se reconhecem no enredo e despertam para a necessidade de romper com o ciclo geracional.

Principais desafios enfrentados

Encontrar pessoas que abraçassem a causa da mobilização para implementá-la em Governador Nunes Freire foi um dos principais desafios enfrentados pela então secretária municipal de Educação no início do trabalho. Segundo ela, gradativamente, mais pessoas têm aderido ao Comitê de Mobilização. A cada ação de sucesso realizada, mais gente decide participar do movimento.

Outro desafio apontado pela então secretária foi conseguir materiais para as ações de mobilização. Como optou em implantar a mobilização independente da prefeitura, a Secretaria não cobre inteiramente os recursos necessários para as atividades, que são conseguidos por meio da articulação dos mobilizadores com parceiros.

Principais resultados

A então secretária de educação de Governador Nunes Freire atribui à mobilização uma grande aliada no avanço da educação no município, tendo colaborado com a redução das taxas de evasão e distorção idade série e o aumento da porcentagem de crianças alfabetizadas no 1º ano do Ensino Fundamental. Segundo a secretária, a mobilização é uma catalisadora que facilita o trabalho de maneira geral: gera mais participação, cobrança e comprometimento dos vários atores educacionais (professores, diretores, funcionários, pais), aumentando o sentimento de pertença à escola e a responsabilidade com a educação das crianças e adolescentes.

Perspectivas

Além de implementar o projeto Coordenadores de pais e os Conselhos Escolares, mobilizadores locais planejam a realização de palestras com a temática da interação escola-família-comunidade e com conversas diretas com os participantes sobre a importância dos pais acompanharem a vida escolar dos filhos. Programam, ainda, editar um jornal da mobilização para a publicação de matérias afinadas com a temática e a divulgação de ações realizadas no município; promover uma formação popular em cidadania, destinada a indivíduos ou grupos que queiram conhecer melhor os seus direitos e deveres e formas de exercê-los e reivindicá-los; engajar mais parceiros na mobilização, especialmente representantes do setor empresarial e de municípios vizinhos; e realizar sessões de estudos da cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos em instituições religiosas.

Objetivos:
© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal